Rua João de Sousa Dias, 362 – Campo Belo, São Paulo
(11) 2387-8400 / (11) 99209-3294
contato@discoveries.com.br

A teoria das inteligências múltiplas e a pirâmide de aprendizagem

Escola de Inglês - English and More

A teoria das inteligências múltiplas e a pirâmide de aprendizagem

Inteligências Multiplas | Discoveries School

Gostaria de propor uma reflexão sobre o ambiente educacional, partindo da análise das três fotos abaixo

Sala de aula em 1950

Sala de aula em 1980

Sala de aula em 2010

Tirando a mudança nas vestimentas e a qualidade das fotos, a disposição dos alunos é substancialmente semelhante nos três períodos, levando a entender que a forma como os alunos são expostos e absorvem os conhecimentos não se alterou ao longo dos anos.

No período compreendido entre a primeira e a terceira foto, foram apresentados diversos estudos que examinam a forma como aprendemos, seja coletivamente ou como indivíduos, únicos em suas características, contestando o entendimento do parágrafo anterior.

No início da década de 1980, o cientista norte-americano Howard Gardner, divulgou o estudo sobre a teoria das inteligências múltiplas.

Partindo da análise de pessoas geniais em seus campos de atuação, observou-se que a genialidade humana é bem mais específica que generalista, uma vez que bem poucos gênios o são em todas as áreas.

Gardner concluiu, a princípio, que há sete tipos de inteligência:

1.  Lógico-matemática: capacidade de realizar operações numéricas e de fazer deduções.
2.  Linguística: habilidade de aprender idiomas e de usar a fala e a escrita para atingir objetivos.
3.  Espacial: disposição para reconhecer e manipular situações que envolvam apreensões visuais.
4.  Físico-cinestésica: potencial para usar o corpo com o fim de resolver problemas ou fabricar produtos.
5.  Interpessoal: capacidade de entender as intenções e os desejos dos outros e consequentemente de se relacionar bem em sociedade.
6.  Intrapessoal: inclinação para se conhecer e usar o entendimento de si mesmo para alcançar certos fins.
7.  Musical: aptidão para tocar, apreciar e compor padrões musicais.

Assim, enquanto Michael Jordan apresenta uma capacidade físico-cinestésica acima da média, Albert Einstein tinha excepcional aptidão lógico-matemático e Shakespeare utilizava de sua habilidade linguística para produzir histórias que permanecem relevantes por séculos, estes mesmos indivíduos poderiam ter suas outras seis inteligências na média esperada para a população de sua época.

William Glasser, psiquiatra norte-americano, falecido em 2013, desenvolveu a Pirâmide de Aprendizagem como resultado de seus estudos na área da educação.

A Pirâmide de Aprendizagem é uma representação gráfica dos percentuais de retenção de conhecimento e informação relacionados à atividade educacional.

De forma resumida, a teoria conclui que quanto mais nos relacionamos com o conhecimento de forma ativa, maior será a absorção das informações, em comparação a um estilo mais passivo de aprendizagem como leitura e escuta.

Ainda que os estudos de Gardner e Glasser sejam controversos em certos aspectos, visto que um indivíduo com aptidão linguística acima da média tende a absorver um percentual maior de conhecimento por meio da leitura, escuta e escrita que um indivíduo com aptidão físico-cinestésico, é senso comum que quanto maior for a exposição de um indivíduo a diferentes formas de aprendizagem, maior será a probabilidade de retenção da informação.

Os estudos são convergentes no conceito da apresentação de diversas formas de ensino, como a prática por meio de experimentos em adição à leitura e escuta. A probabilidade de impactarmos um indivíduo com aptidão físico-cinestésico por meio da prática será maior do que se apresentarmos o conhecimento apenas pela leitura e escrita.

Conclusivamente, os indivíduos nascem com capacidade inatas e se desenvolvem a partir da educação que recebem e dos estímulos a que são expostos. Uma educação padronizada e niveladora suprime a capacidade de novos gênios surgirem ao não considerar o potencial de cada aluno.

Variar os estímulos e permitir uma postura mais ativa no processo de aprendizagem são alternativas para melhorar o desempenho dos alunos, também por conta da mudança no comportamento das pessoas a cada nova geração, visto que pesquisas indicam que atualmente está mais difícil prender a atenção das pessoas.

Assim, ao apresentarmos um modelo de ensino baseado em projetos, conjugando diversas formas de ensino e metodologias, favoreceremos a probabilidade do surgimento de novos Ghandis, Tarcilas e Isaacs.

Até a próxima!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat